CABELO

INICIANDO NO UNIVERSO DO LOW POO ®

Pra
mim há um tempo atrás, sinal de shampoo bom e cabelo limpo era quando fazia
muita espuma…

 

 

A gente some e quando
volta, vem logo causando hahahaha!
Você já deve ter ouvido ou
lido algo sobre No Poo e Low Poo por aí, se não,  já deve ter
lido em algum rótulo que o produtos era “LIBERADO”, pois bem sobre
isso que vamos falar resumidamente hoje. Iniciei nesse universo do Low Poo  quase
sem querer, fui comprando e ganhando produtos que eram “liberados”
para as técnicas, nesse meio tempo já acompanhava blogueiras e Youtubers que
faziam a técnica, quando vi 95% dos meus produtos eram liberados. E em abril
desse ano me tornei oficialmente adepta da técnica LOW POO.
Nota: Ao longo do
texto você verá  muito a palavra “proibido ou liberado” mas não
se acanhe achando que é difícil, que tem muitas proibições ou que eu estou
querendo mandar em você, esses termos faz parte do vocabulário usual dos métodos.
MAS O QUE É ESSE TAL DE LOW
POO?
Low em inglês é pouco
e poo Shampoo essas duas palavrinhas juntas sintetizam a técnica que
visa diminuir o uso de sulfatos pesados nas madeixas.  Low Poo é diferente
da técnica No Poo que não utiliza nenhum tipo de sulfato (não tenho muita
propriedade pra falar dela pois iniciei o Low Poo recentemente). Ambas as
técnicas foram criadas por por Lorraine Massey outora do livro Curly Girl
Method, no Brasil é conhecido como ” O manual da Garota Cacheada; Lorraine
também é co-fundadora da marca Deva Curl a marca de produtos para cacheadas
conhecida mundialmente.
 E porque disso tudo?
Os sulfatos são responsáveis pela limpeza dos cabelos, mas fazem isso de
uma forma tão profunda que acabam agredindo os fios, removendo literalmente
toda a oleosidade boa e natural do couro cabeludo, promovendo ressecamento dos
fios pois as cuticulas ficam abertas e expostas a fatores externos. Ou seja,
quanto mais você lavar seu cabelo com essas substancias por ele ser oleoso,
mais oleoso ele ficará… isso se chama efeito rebote onde nosso corpo produz
em dobro tudo aquilo que é tirado dele.
Você sabia: O Lauril
Sulfate de Sódio, uns dos principais e mais usados sulfatos do mercado para
produtos de higiene  é o mesmo utilizado para fabricar o detergente que
você lava a louça?Os sulfatos são responsáveis por aquele monte de espuma que
estamos acostumadas na hora de lavar o cabelo e que sempre achamos divertidos,
pois ele é um dos responsáveis pela poluição dos rios e fluentes, sabe aquela
espuma que vimos no rio tietê?
 Sendo assim… nesse
técnica é proibido o uso de sulfatos pesados, derivados de petróleo, óleo
mineral, parafina liquida, petrolato, alguns silicones insolúveis entre outros.
E porque eles são proibidos? Muitos desses produtos mascaram a saúde do fio,
criando uma “capa”  que só pode ser removida com sulfato forte.
🙁 Mas falaremos sobre isso em outro momento ok?
COMO INICIEI O  LOW POO?
Como falei lá em cima
quando percebi 95% dos meus produtos eram liberados para a técnica, confesso
que fui amadurecendo essa ideia com o passar do tempo, creio que não é uma
coisa que se decida de uma hora pra outra, mas como eu já acompanhava
alguns blogs como o Cacheia! Garagem dos Cachos e canais no YouTube
que tratavam do assunto como o da Karina Veiga , Mari Morena,
entre outros. Li livros como o Manual da Garota Cacheada  que
citei acima, o livro do cachos de Sabrinah Giampá, é nacional com a mesma vibe
do MGC, ai essa decisão ficou até mais amena; e também porque eu estou numa
onda de usar  produtos mais “naturais” nos cuidados com as
madeixas e corpo.
Tá, mas como saber se os
produtos são liberados? Comecei pesquisando em tabelas,
entrei em grupos de Facebook como o Low e No Poo Iniciantes, tem
para as mais avançadas também o Low e No Poo – Técnica Avançada.
Mas contei com uma ajuda fundamental de um aplicativo chamado Cabelo
Poo
, ele é perfeito para quem tem preguiça de ficar lendo as tabelas ou
está numa loja e está em dúvida se um determinado produto é liberado. Ele lê o
código de barras e se o produto estiver cadastrado diz se é liberado ou não, se
não tiver o produto que você está pesquisando pode inserir uma foto da
embalagem e do rótulo dele pra ser estudado e avaliado por alguém, ele tem os
componentes proibidos e liberados que você pode buscar pelo nome, e tem também
um espaço que contém receitas caseiras, bem completo!
Bom, depois de tudo
separadinho, terminei de usar os produtos que eram proibidos, alguns eu fiz
doação, ai passei para o passo de retirada dos resíduos dele do fios, lavei com
xampu anti-resíduo e daí por diante comecei a usar os produtos liberado. Mas o
que realmente me motivou a começar a técnica foi ter vistos as centenas de
vídeos no YouTube e lido dezenas de blogs de pessoas que seguem a técnica a
anos e não se arrependem nem um pingo sobre ter feito escolha, pelo contrário,
mostram um cabelo mais saudável.
E O
CABELO?
Uma das coisas que mais li
e ouvi é que nas primeiras vezes que você começa a técnica o cabelo pode ficar
muito ruim, SIM o meu ficou! Afinal eu estava tirando toda a maquiagem que os
produtos fizeram no meu cabelo, mostrando assim a realidade dele. Confesso que
fiquei com preocupada nesse início, estava mergulhando no desconhecido né,
houve um período de tempo em que meu cabelo pareceu pior do que estava, não que
ele estivesse detonado antes do Low Poo ele teve ressecamento e queda, isso é
normal uma vez que o couro cabeludo está se ajustando à falta de sulfato e
minha transição do sulfato para o sulfato free foi drástica, esse processo é
gradativo.
Procurei manter uma rotina
de cuidados durante os dois primeiros meses, uma coisa que me ajudou muito foi
ter iniciado o cronograma capilar ( que se resume em uma séria se cuidados
separados em etapas  de hidratação, nutrição e reconstrução) existe um App
que pode te ajudar com isso também que é o Meu Cronograma
Capilar. 
Outra coisa que meu cabelo
se adaptou bem é fazer CoWash que resumidamente é lavar o cabelo com
condicionador, mas não é qualquer condicionador tá! Como lavo duas vezes na
semana uma lavagem é no sábado ou domingo onde capricho na hidratação e a outra
é na terça ou quarta e é nessa lavagem durante a semana que inclui o CoWash e
meu cabelo adorou.
Bom gente é isso por hoje,
logo volto com mais relatos e dicas de coisas que estarei testando. Lembre-se
que assim como a transição fazer LowPoo parte apenas de uma escolha sua e esse
processo pode ser leve ou  radical como NoPoo, qualquer pessoa pode fazer
independente do tipo de textura tudo depende de você.

 

Ah! E se tiver alguém aqui
que já faça uso da técnica comenta aqui contando sua experiência ou dando uma
dica para as mais inexperientes como eu.
Um grande beijo!

4 Comments

Deixe uma resposta

Comments on Facebook